Artigos Científicos

​2018

Cunha, D. & Santos, M. (2018). (Ainda) os acordos sobre a sentença penal: que futuro?, Scientia Ivridica, mar-maio.
Ferreira. M., Neves, S., Gomes, S . (2018). Matar ou Morrer – Narrativas de mulheres, vítimas de violência de género, condenadas pelo homicídio dos seus companheiros, Revista Configurações, vol. 21, 80-95.
(https://journals.openedition.org/configuracoes/5171
Gomes, S. &  Duarte, V. (2018). What about ethics? Developing qualitative research in confinement settings. European Journal of Criminology. 1-19 [Online] Doi: 10.1177/1477370818801305.
Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/1477370818801305 [Scopus]
Grangeia, H.  & Matos, M. (2018). How far does love go? Experiences and perceptions of unwanted relational pursuit. Psiquiatria, Psicologia & Justiça,14, 45-78. Disponível em: http://www.spppj.com/uploads/mergedfile.pdf
Grangeia, H. & Matos, M. (2018). Persistent harassment: Targets and perpetrators among young adults. Victims & Offenders: An International Journal of Evidence-based Research, Policy, and Practice.13 (1), 102-121.
Doi 10.1080/15564886.2016.1268987.
Santos, M., Grangeia, H. (2018). O crime de perseguição no contexto digital –novos desafios. In Clara Calheiros 
et al (org.) Direito na Lusofonia – Direito e novas tecnologias, 5.º Congresso Internacional de Direito na Lusofonia, Braga, Escola de Direito da Universidade do Minho/Centro de Investigação em Justiça e Governação, 2018.

2017

Correia, A., Neves, S., Gomes, S.,Nogueira, C. (2017) O Femicídiona intimidade sob o olhar dos media: Reflexões teórico-empíricas, Revista Género & Direito, edição especial “Mídia, Género e Direitos Humanos”, vol. 6(1), 34 -59. 
Costa, Susana, (2017). “Visibilities, invisibilities and twilight zones at the crime scene in Portugal”, New Genetics and Society, vol. 36, issue 4, 375-399, https://doi.org/10.1080/14636778.2017.1394835
Duarte, V. & Carvalho, M.J.L., (2017). Female delinquency in Portugal: what girls  have to say about their involvement in delinquency",Gender Issues, Springer, Doi: 10.1007/s12147-017-9187-8 [Scopus ID ...]
Gandarinho, D. & Cruz, O. S.(2017). Perceções de jovens consumidores ‘ocultos’ de canábis sobre a lei da droga em Portugal: Um estudo qualitativo. Psiquiatria, Psicologia & Justiça, 11, 1-29 [Indexada a Latindex].
Gomes, S. (2017). Access to Law and Justice Perceived by Foreign and Roma Prisoners, Race and Justice. Article first published online: March 30. DOI:  https://doi.org/10.1177/2153368717699972.
Pontedeira, C., Sousa, R, Cruz, O.S., Almeida, F., & Grangeia, H. (2017). Homicídios nas relações de intimidade: o que os caracteriza e os diferencia conjugal [Intimate partner homicide: what caracterizes and differentiates it]. Psiquiatria, Psicologia & Justiça,11, 91-153. Disponível em http://www.spppj.com/uploads/numero_.._psiquiatria_psicologia_e_justica.pdf
Pontedeira, C., Sousa, R., Cruz, O. S., Almeida, F., & Grangeia, H. (2017). Homicídios nas relações intimidade: O que os caracteriza e os diferencia. Psiquiatria,Psicologia & Justiça, 11, 154-189 [Indexada a Latindex].
Silva M. C., Gomes, S. (2017). Economie, activités et modes de vie dans les communautés gitanes au Nord-Ouest du Portugal.Études Tsiganes (L’économie des Gens du voyage en France), nouvelle série, n°64: 92-107.
Silva, M.C., Duarte, V. & Kahn, S. (2017). Entre a inserção e a exclusão: a identidade étnica de imigrantes dos PALOP. In Portugal, território de territórios. Atas do IX Congresso Português de Sociologia, Lisboa: Associação Portuguesa de Sociologia. ISBN: 978-989-97981-3-7. Disponível em: http://historico.aps.pt/ix_congresso/actas/actas [site das atas]; http://historico.aps.pt/ix_congresso/docs/final/COM0593.pdf

2016

Casa Branca, C., Grangeia, H. & Cruz, O. (2016). Grooming online: um estudo exploratório [Grooming online in Portugal: an exploratory study]. Análise Psicológica, 3 (XXXIV), 249-263. Doi: 10.14417/ap.978 Disponível em 
Cruz, O. (2016). Grooming online em Portugal: Um estudo exploratório [Grooming online in Portugal: An exploratory study]. Análise psicológica, 34(3), 249-263. doi: 10.14417/ap.978 [Indexada a SCOPUS]
Cruz, O., Silva, C., Pinto, C., & Silva, J. (2016). Mulheres, drogas e crime: Um estudo exploratório sobre a natureza da relação entre droga e crime com mulheres presas por crimes relacionados com as drogas. Psiquiatria, Psicologia & Justiça, 10, 150-187. [Indexada a Latindex].
Gomes, S. & Duarte, V. (2016). Desenvolvendo investigação em contextos de reclusão: primeiro, estranha-se, depois entranha-se, Atas Investigação Qualitativa em Ciências Sociais, CIAIQ2016, vol. 3, pp. 42-47, ISBN: 978-972-8914-60-8. Disponivel em: http://proceedings.ciaiq.org/index.php/ciaiq2016/article/view/926/909.
Neves, S. ,Gomes, S., Martins, D. (2016). Narrativas mediáticas sobre o femicídio na intimidade: Análise de um jornal popular português,Ex Aequo: Revista da Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres, vol. 34, 77-92. doi: 10.22355/exaequo.2016.34.06.
Neves, S., Cameira, M.; Machado, M., Duarte, V. & Machado, F. (2016). Beliefs on Marital Violence and Self-Reported Dating Violence: A Comparative Study of Cape Verdean and Portuguese Adolescents, Journal of Child  & Adolescent Trauma. Doi: 10.1007/s40653-016-0099-7. Disponível em: http://link.springer.com/article/10.1007/s40653-016-0099-7
Santos, M. (2016). A Proposta de Regulamento da Procuradoria Europeia –um primeiro olhar. In Direito na Lusofonia –Cultura, direito humanos e globalização, 1.º Congresso Internacional de Direito na Lusofonia, Braga, 
Escola de Direito da Universidade do Minho. Disponível em: 
http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/47512/1/1%C2%BA%20Congresso%20em%20Direito%20na%20Lusofonia_Cultura_Direitos%20humanos%20e%20globaliza%C3%A7%C3%A3o.pdf
Santos, M. (2016). O depoimento indireto e o direito de defesa do arguido: uma leitura jurídico-constitucional. In Direito na Lusofonia – Diálogos constitucionais no espaço lusófono, 3.º Congresso Internacional de Direito na Lusofonia, Braga, Escola de Direitoda Universidade do Minho.
Santos, M. (2016). The definition of the competence ratione materiaeof the European Public Prosecutor’s Office and the substantive legality principle - the way forward, Portuguese Law Review, N.º 0, Vol. 1, Spring 2016, available at http://www.portugueselawreview.pt/wp-content/uploads/2017/10/VOLUME-1-SEPTEMBER-2016-No-0-1.pdf
Simas Santos, M. (2016). Acesso constitucional ao Direito: a Jurisprudência. O caso do Supremo Tribunal Militar de Angol. In Direito na Lusofonia Diálogos constitucionais no espaço lusófono, Edição da Universidade do Minho.